Teatro
As mãos de Eurídice

AS MÃOS DE EURÍDICE - MONÓLOGO COM ANTÔNIO LOPES

 

Resumo do texto de Pedro Bloch. Conta a história de Gumercindo Tavares, que retorna ao lar depois de perder tudo o que tinha para a amante. Em casa, busca vestígios para confirmar sua suspeita de que a esposa o traiu durante os nove anos em que esteve fora. 

 

Considerado o primeiro monólogo montado no Brasil, estreou em 1960 no Rio de Janeiro com Rodolfo Mayer e teve sucesso imediato, no país e no mundo, destacando-se na Broadway com temporada no Booth Theatre.

 

Gumercindo Tavares retorna ao lar, oito anos depois de trocar sua mulher Dulce pela amante. Sem dinheiro e sem o prazer que as delicadas mãos de Eurídice lhe proporcionavam, espera encontrar a fiel esposa cuidando da família. 

 

A casa está vazia e a solidão lhe traz lembranças dos conflitos que o levaram a deixar a família: A mulher que não parava em casa, as crianças que tumultuavam a casa, a sogra faladeira, o sogro lunático... E Eurídice, jovem, alegre com suas mãos sempre carinhosas, meigas deslizando na carpeta, ganhando, perdendo, perdendo, ganhando...  O fim do casamento, a aventura com o novo relacionamento e seu fim trágico.

 

Gumercindo vasculha gavetas à procura de algo que prove a suspeita que sempre teve do interesse do professor de música por Dulce. Encontra coisas que denunciam o tempo: O filho teve complicações de saúde e já não existe mais, a menina casou. E Dulce? 

 

Para baixar a sinopse do espetáculo, clique aqui.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

Vídeo

As Mãos de Eurídice

Vídeo

As Mãos de Eurídice